A amamentação sob a visão da Antroposofia


Priscila Raposo do Amaral | Ginecologista e Obstetra Antroposófica




O aleitamento é a mais pura expressão de amor, é doação por completo, por intenção.

Os 3 primeiros meses de vida, quando se dá a adaptação da relação mãe e bebê, são como o quarto trimestre da gestação. Dentro do útero, a criança está protegida, tem calor e alimento. Ao nascer, passa a ter ação da gravidade, sensação térmica, a respirar por si mesma, a buscar alimento por instinto, cheiro e ao ser colocada no peito ela busca pelo colostro e vê uma ligação ao seu antigo mundo.


Ao produzir o leite, a mãe se exterioriza para seu filho, se doa por completo, é uma continuidade de seu ser que agora irá alimentá-lo.


No ato de amamentar, o leite materno é doação do corpo físico da mãe, há o fluir da vitalidade e do corpo etérico diretamente para o bebê, há troca de calor, de carinho, o bebê acaricia sua mãe e ela responde com o mesmo ato, há troca de olhares, troca de amor, e assim a mãe flui com seu corpo astral e o EU para seu filho.


Não é apenas a importância da composição nutritiva do leite (corpo físico), mas também entrega de sua vitalidade (corpo espiritual), do seu estado de ânimo (corpo astral) e do seu amor (EU). Assim na visão da antroposofia, há uma entrega por inteiro da mãe para seu filho.


Como nos prepararmos para esta fase? Nos preocupamos tanto com o parto que após o nascimento, muitas vezes, ficamos perdidas, muitas novidades e incertezas.


Ao se tornar mãe, a mulher revive seu nascimento e se passou por dificuldades, pode trazer estes sentimentos. Também ocorre um luto de filha que agora se torna mãe, de uma mulher livre que agora tem alguém totalmente dependente dela. Como lidar com tanta complexidade?


A preparação é fundamental. É importante participar de grupos de apoio, cursos de gestantes e de reuniões e cursos de pré-natal, ouvir de quem já viveu a gestação, o parto e o pós parto. Se informar, ler a respeito. Escolher profissionais que ajudem a futura mãe a conduzir o processo dentro das suas expectativas, criar vínculo, tirar dúvidas e solicitar apoio sempre que precisar.


A presença de especialistas em amamentação é importante, caso precise. A participação do marido, companheirx, é de suma importância. Falaremos a respeito em breve.


Durante o pré-natal, preparar o mamilo para evitar rachadura que doem muito e dificultam amamentar. Deixar que se inicie o trabalho de parto naturalmente se possível, pois é liberada uma cascata hormonal, dentre eles ocitocina e prolactina, que preparam o corpo da mãe e do bebê para a amamentação fazendo com que ela se torne mais tranquila.


Nos primeiros dias após o nascimento, se dedique ao bebê. Peça ajuda. Peça para que outras pessoas cuidem da casa, das refeições, sempre que possível, para não sobrecarregá-la. Aproveite cada tempinho para descansar, tome pelo menos 2 litros de água por dia.


Alimentação adequada e hidratação alimentam o corpo físico, descanso alimenta o corpo etérico, despreocupação o corpo astral e entrega ao processo, o Eu.


"A mãe inteira vive no leite materno." R. Steiner


Confiança e coragem!

1,675 visualizações

Rua Professora Celina Sampaio, 44  |  Vila São Francisco  |  São Paulo - SP  |  (11) 3718-0209

espacoitawegman.com.br

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon
Para saber mais sobre Antroposofia acesse o site
da Sociedade Antroposófica
do Brasil em www.sab.org.br.

2018 © Lancelot Comunicação