A relação do açúcar com as dores no parto

Atualizado: 24 de Ago de 2018

Drª Priscila Raposo do Amaral | Obstetra e Médica Antroposófica



Cada vez mais se fala sobre parto humanizado, parto natural, de deixar o corpo agir na hora do nascimento. Mas será que existe uma forma natural de facilitar esse processo para que as gestantes não sintam tão intensamente as dores do parto? Porque algumas gestantes não sentem tanta dor e têm partos rápidos enquanto outras sentem dores que se estendem por dias com contrações fortes sem dilatação do colo uterino?


As dores são decorrentes das contrações uterinas que irão empurrar o bebê em direção ao colo e este se abrirá para o nascimento. Se o colo uterino estiver mais endurecido as dores serão maiores e o parto mais prolongado. É claro, que existe uma relação entre a forma como a gestante encara essas dores, o relaxamento dessa mãe, a sua compreensão de todo o processo. No entanto, existe também uma explicação bastante técnica para os partos mais dolorosos e longos.


Mas a ciência descobriu que mulheres que têm uma taxa de glicemia menor, uma quantidade menor de açúcar no sangue, apresentam partos mais fáceis.

Vamos entender o que acontece no corpo da mãe.


Durante a gestação, o colo se apresenta fibroso, resistente e carrega o peso do útero e, só no final, ele começa a esvaecer, amolecer e afinar em decorrência da presença da prostaglandina e seus receptores. Na fisiologia do parto, ocorre a orquestra hormonal. Vários hormônios são liberados. A ocitocina é responsável pelas contrações uterinas e a prostaglandina, pela dilatação do colo. Quem dá início à produção destes hormônios é o bebê, a partir da liberação de cortisol. Ele atravessa a barreira placentária e desencadeia o trabalho de parto. Mas, para os hormônios agirem é necessária a presença de receptores específicos. Nesse caso, os receptores de prostaglandinas, que só serão produzidos em baixa taxa de glicemia, ou seja, com pouco açúcar no sangue materno


Assim, mulheres que tem baixa taxa de glicemia produzem mais receptores de prostaglandinas e consequentemente os partos serão mais fáceis, pois o colo uterino responderá melhor às contrações.


Para as gestantes que acompanho, oriento diminuir ao máximo a ingestão de açúcar durante a gravidez e zerar o consumo de açúcar a partir de 36.º semana de gestação.

Dessa forma, quando iniciarem as contrações, o corpo terá mais receptores de prostaglandinas, o colo uterino estará amolecido e se abrirá com mais facilidade. O resultado é um trabalho de parto mais tranquilo, menos doloroso e mais rápido.

474 visualizações

Rua Professora Celina Sampaio, 44  |  Vila São Francisco  |  São Paulo - SP  |  (11) 3718-0209

espacoitawegman.com.br

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon
Para saber mais sobre Antroposofia acesse o site
da Sociedade Antroposófica
do Brasil em www.sab.org.br.

2018 © Lancelot Comunicação