Palmilhas posturais no tratamento de dores nas costas


Fátima Cechinel | Fisioterapeuta



Só quem sofre com dores nas costas, quadril, joelho sabe o quanto isso é incômodo. Fica difícil pra caminhar, sentar, ficar muito tempo em pé.


Em alguns casos, as palmilhas posturais são indicadas como tratamento complementar. Esse é o ramo da fisioterapia que se chama podoposturologia e estuda as alterações posturais através da análise dos pés. Uma técnica, de origem francesa que auxilia na prevenção e no tratamento terapêutico indicando o uso de palmilhas posturais e mecânicas.

O profissional especializado faz uma avaliação postural, entender a rotina de trabalho e atividades do paciente e, caso haja indicação, confecciona as palmilhas.

As palmilhas são feitas de EVA e têm relevo também feito do mesmo material. É possível usar em qualquer calçado, até mesmo chinelos. Nesse último caso, é possível fazer a palmilha diretamente na sua havaiana, por exemplo.


Como funciona? As palmilhas estimulam a pele dos pés. As informações necessárias para a regulação da postura estática e dinâmica também estão da planta dos pés. Essas palmilhas estimulam os neuroreceptores da pele na região plantar e como resposta ocorre uma reprogramação na estratégia postural.


Algumas indicações das palmilhas posturais:

• Fasceítes plantares;

• Esporão de calcâneo;

• Neuroma de Morton;

• Pé cavo e pé plano;

• Diferença de comprimento dos membros inferiores;

• Hálux valgo (joanete);

• Tendinites e entorses dos membros inferiores.

• Dores na coluna devido a problemas posturais.


Para identificar a necessidade do uso de palmilhas proprioceptivas, é importante que o paciente procure um profissional para fazer uma análise de acordo com os incômodos que esteja sentindo. Não é indicado comprar palmilhas prontas à venda em lojas.

61 visualizações

Rua Professora Celina Sampaio, 44  |  Vila São Francisco  |  São Paulo - SP  |  (11) 3718-0209

espacoitawegman.com.br

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon
Para saber mais sobre Antroposofia acesse o site
da Sociedade Antroposófica
do Brasil em www.sab.org.br.

2018 © Lancelot Comunicação